D. Duarte critica pensamento de curto prazo da República (Correio do Minho)




Razões da crise D. Duarte critica pensamento de curto prazo da República D. Duarte de Bragança considerou ontem que “o Estado republicano não protege os interesses nacionais a longo prazo. “O pensamento republicano é de curto prazo, interessa-lhe resolver os assuntos a quatro anos, até às próximas eleições, é pensamento muito provisório”, declarou o duque de Bragança, no segundo dia da sua passagem pelo concelho de Braga.
Apontando como principais causas da crise que Portugal atravessa neste momento “a ignorância, a imoralidade e a falta de raciocínio lógico”, D. Duarte lamentou que cinco a dez por cento do nosso produto interno bruto seja perdido com a corrupção.
No complexo ecomonumental das Sete Fontes, D.
Duarte apelou ao reforço das associações de defesa do património. Os duques de Bragança, Duarte e Isabel, participam, ontem de manhã, na Sé de Braga, numa eucaristia presidida pelo arcebispo primaz, D. Jorge Ortiga.


FLÁVIO FREITAS


Ver Ficheiro

<<< voltar
© Casa Real Portuguesa 1998-2015
w3c
Aviso Legal