Regicídio: Faceta política, artística e desportiva do Rei Dom Carlos recordada ao longo de 2008 - (Agência Lusa)

 
 
Lisboa, 16 Jan (Lusa) - A vida política, artística e científica de D. Carlos vai ser evocada este ano com várias iniciativas, entre as quais exposições, conferências e actividades desportivas, para assinalar o centenário do regicídio do monarca e do príncipe Luís Filipe.
 
 
A evocação dos cem anos da morte do Rei D. Carlos é uma iniciativa da Fundação D. Manuel II e será coordenada por uma comissão da qual fazem parte personalidades como Nuno Van Uden, Adriano Moreira, Rui Ramos, Manuel Braga da Cruz, Alexandre Bettencourt e o general Alexandre Sousa Pinto.

A comissão, hoje apresentada em Lisboa por Duarte Pio de Bragança, chefe Casa Real Portuguesa, pretende assim "lançar as bases para o estudo alargado sobre a dimensão política e diplomática" do Rei D. Carlos.

Entre as iniciativas que compõem o programa de reflexão sobre a vida e obra de D. Carlos, contam-se, em Fevereiro, um ciclo de conferências no Centro Nacional de Cultura, em Lisboa, um seminário em Maio sobre os mares lusófonos, a decorrer na Torre de Belém, e um colóquio, em Setembro, na Universidade Católica, sobre o rei e a monarquia constitucional.

Haverá ainda um congresso internacional oceanográfico em Outubro, uma emissão de selos com a imagem do Rei D. Carlos, a prova internacional de Vela Taça D. Carlos, a decorrer em Agosto no Algarve, e uma exposição iconográfica e fotográfica sobre o monarca, em Setembro, na Universidade Católica.

A editora Équilo deverá editar o livro "Diário íntimo de D. Manuel II", e a Asa irá reeditar a obra "O príncipe real - D. Luís Filipe de Bragança".

"Mais do que a evocação de um reinado", refere a Comissão D. Carlos 100 anos, o objectivo é desenvolver "uma reflexão aprofundada sobre Portugal e sobre o projecto da Nação nos nosso dias".

O rei D. Carlos e o Príncipe Luís Filipe foram assassinados a 01 de Fevereiro de 1908 no Terreiro do Paço, em Lisboa, por dois elementos da Carbonária.

O regicídio foi visto como o derradeiro passo para o fim da monarquia, que ocorreu dois anos depois, em 1910.

Para o dia 01 de Fevereiro está prevista uma concentração na Praça do Comércio pelas 17:00 em homenagem ao Rei D. Carlos e ao príncipe herdeiro, seguindo-se uma missa na igreja de S. Vicente de Fora, onde se encontra o Panteão Real, presidida pelo Cardeal Patriarca, D. José Policarpo.

A Causa Real propõe que o próximo 01 de Fevereiro seja considerado Dia de Luto Nacional, pelo que lançou uma petição nesse sentido que será entregue à Assembleia da República.

SS.

© 2008 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
2008-01-16 13:45:02
 
 
 

<<< voltar
© Casa Real Portuguesa 1998-2015
w3c
Aviso Legal